Pediatria

Supervisor: Dr. Anderson Azevedo Dutra

  • Formado pela Universidade Federal de Juiz de Fora

  • Residência Médica em Pediatria e em Neonatologia no Instituto da Criança (Faculdade de Medicina da USP)

  • Título de Especialista em Pediatria pela Sociedade Brasileira e Paulista de Pediatria

  • Título de Especialista de Neonatologia pela Universidade de São Paulo – USP-SP

  • Título de Intensivista Pediátrico pela Sociedade Brasileira de Pediatria e AMIB (Associação Médica Intensiva Brasileira)

  • Médico responsável pelas UTIs Neonatais da Santa Casa de Misericórdia de Araçatuba

  • Docente do curso de Medicina do UniSalesiano.

  • Pós-graduação em Preceptoria para Residência Médica no SUS pelo Instituto de Ensino e Pesquisa do Hospital Sírio-Libanês

Vice-Supervisora: Dra. Mirela Fink Hassan Rufato

  • Formada pela Universidade de Taubaté

  • Residência Médica em Pediatria e em Neonatologia no Hospital Santa Lydia - Ribeirão Preto-SP

  • Título de Especialista em Pediatria pela Sociedade Brasileira de Pediatria.

  • Médica pediatra da UTI neonatal de Araçatuba

  • Médica pediatra responsável pelo Serviço de Pediatria da Santa Casa de Penápolis e Hospital Unimed de Penápolis

  • Médica concursada do Hospital Estadual de Promissão

Preceptores:

  • Anderson Azevedo Dutra

  • Cibele Cristina Castilho

  • Leila Bou Farraj

  • Luciana Botelho

  • Mirela Fink Hassan Rufato

  • Rhaisa Maschio Leandro

A residência em pediatria

Objetivos gerais

O Programa de Residência Médica em Pediatria, locado na Santa Casa de Misericórdia de Araçatuba, apresenta como objetivos gerais:

• Formar Pediatras que prestem assistência integral ao ser

humano em crescimento e desenvolvimento;

• Que sejam capazes de buscar conhecimentos, transformando-os em ações de promoção e restabelecimento da saúde;

• Capazes de reproduzir estes conhecimentos na sociedade;

• Capazes de trabalhar em grupo, de forma organizada e eficiente.

 

O Programa será desenvolvido em 2 anos, com metodologia ativa com grau de complexidade crescente, visando criar conceito de educação médica permanente, dentro do contexto ético, legal e técnico de alto nível.

Objetivos intermediários

 

a) Primeiro ano (R1): Ao final do primeiro ano o médico residente deverá estar apto a:

• Avaliar o processo de crescimento e desenvolvimento da criança, considerando os seus desvios, características normais e intervenções necessárias;

• Reconhecer e analisar criticamente o contexto no qual a criança está inserida, aspectos sociais, culturais e econômicos;

• Valorizar o aleitamento materno, o parto natural, o vínculo mãe-filho;

• Compreender os conceitos de atenção primária, secundária, terciária, bem como as redes de atendimento, centrais de regulação do sistema;

• Reconhecer as doenças mais frequentes na infância, distinguindo o nível de complexidade e gravidade das mesmas;

• Reconhecer as causas mais frequentes de acidentes na infância;

• Realizar um atendimento pediátrico padrão, com boa relação médico-paciente e ótima técnica médica;

• Valorizar atendimento multidisciplinar na enfermaria e ambulatórios;

• Entender e promover médicos de prevenção de doenças na

infância, com ênfase no calendário nacional de vacinação.

b) Segundo ano (R2): Ao final do segundo ano o médico residente deverá estar apto a:

• Integrar todos os conhecimentos, adquiridos no primeiro ano, reconhecendo a importância do processo de crescimento, desenvolvimento da criança e do adolescente;

• Integrar os conhecimentos nas áreas biológicas, psicológica, sociais e culturais visando um bom atendimento e resolução de problemas; • Integrar os conhecimentos nas áreas de laboratório, métodos de imagem nas doenças mais prevalentes em pediatria;

• Compreender a importância da visão holística, integrada do ser social;

• Desenvolver técnicas, métodos de promoção da saúde na comunidade.

• Reconhecer e analisar criticamente os artigos científicos e participar

ativamente das atividades didáticas propostas;

• Operar equipamentos de suporte de vida, métodos de apoios ao diagnósticos e a realização de procedimentos para atendimento de

urgência-emergência.