Ginecologia e Obstetrícia

Supervisora: Dra. Maria Lucia Marin Cominotti

Preceptores:

  • Alex Fabiano Silverio de Queiroz

  • Analúcia dos Santos

  • Arlene Tanure Corrêa Lucarelli

  • Eliane Maria Aparecida de Souza Araújo

  • Everton Freitas Leivas

  • Eliziario Siqueira

  • Irineu de Almeida Gomes

  • Marcela Pereira Martinez

  • Maria Lucia Marin Cominotti

  • Nino Jose Wilson Moterani Jr

  • Paola Tiago Queiroz

  • Tonya de Azevedo Jordão de Oliveira

A residência de Ginecologia e Obstetrícia

Objetivos gerais

   Tornar o médico residente em Obstetrícia e Ginecologia apto a promover a saúde e prevenir, diagnosticar e tratar as afecções relacionadas à mulher, nas diferentes fases da vida, bem como desenvolver habilidades e raciocínio crítico nas sub-especialidades e nas diversas áreas de atuação.

Objetivos intermediários

   Conhecer e interpretar os principais aspectos epidemiológicos, demográficos e socioeconômico-culturais que interferem na saúde da mulher. Desenvolver conhecimentos para o adequado entendimentos da relação entre alterações psíquicas e distúrbios tocoginecológicos.

   Praticar assistência pré-natal em todos os níveis. Capacitar na prevenção, diagnóstico e tratamento das principais intercorrências clínicas e obstétricas. Aprimorar o conhecimento e as habilidades para assistência ao parto e puerpério. Adquirir habilidades para a prática adequada da Obstetrícia operatória (Tocurgia). Diagnosticas e tratar as complicações clínicas e cirúrgicas mais frequentes em Obstetrícia, Diagnosticar e tratar as urgências e emergências obstétricas e ginecológicas.

   Desenvolver conhecimentos e habilidades em medicina intensiva, relacionados às afecções obstétricas e ginecológicas.

  Desenvolver conhecimento em medicina fetal; habituar-se ao diagnóstico ultra-sonográfico das principais afecções fetais. Capacitar na prevenção, diagnóstico e tratamento das afecções ginecológicas, incluindo ginecologia infanto-puberal, distúrbios endocrinológicos, DST/AIDS, patologia de trato genital inferior, algia pélvica, endometriose, climatério e doenças da mama.

   Desenvolver conhecimentos e habilidade em reprodução humana, incluindo planejamento familiar e infertilidade.

   Adquirir habilidades em cirurgias ginecológicas e mamárias, para o tratamento das doenças benignas e malignas. Adquirir conhecimentos em procedimentos especializados em Ginecologia, como colposcopia, laparoscopia diagnóstica e cirúrgica, histeroscopia diagnóstica e cirúrgica, mamografia, uroginecologia e urodinâmica.

 Capacitar na prevenção e diagnóstico das neoplasias malignas ginecológicas e da mama, e tornar-se apto a estabelecer um planejamento terapêutico adequado particularmente nos estádio iniciais, bem como conhecer a evolução prognóstica. Diagnosticar e tratar as complicações cirúrgicas mais frequentes em Ginecologia. Desenvolver conhecimentos em diagnóstico por imagem em Obstetícia e Ginecologia.

   Desenvolver conhecimentos relacionados a responsabilidade ética e profissional.

a) Primeiro ano (R1): deve ser mais voltado à formação obstétrica, desenvolvendo uma atuação intensa em Obstetrícia, em particular em pré-natal de baixo risco, pronto atendimentos obstétrico, centro obstétrico, neonatologia, alojamento conjunto, ambulatório de revisão puerperal e iniciar a atividade em ultra-sonografia e em ginecologia, nas áreas de ambulatório geral e Ginecologia, planejamento familiar, enfermaria e centro cirúrgico. É recomendável treinamento em cirurgia geral.

b) Segundo ano (R2):, a formação contempla mais a área de Ginecologia, com atuação em ambulatórios especializados (ginecologia endócrina, patologia do trato genital inferior, climatério, uroginecologia, ginecologia de adolescentes e infertilidade), pronto atendimento ginecólogico e atividades cirúrgicas de Ginecologia (com porte diferenciado de cirurgias). Na área obstétrica o residente de segundo ano atuaria em pré-natal de alto risco, pré-natal de adolescentes e no Centro Obstétrico. Iniciaria também sua formação em Oncologia Ginecológica, frequentando ambulatórios de Patologia Cervical, de Patologia Mamária, Oncologia Ginecológica e Centro Cirúrgico. Continuará seu aperfeiçoamento em ultra-sonografia.

c) Terceiro ano (R3): deve continuar a atuar na área de gravidez de alto risco, participar de ambulatórios especializados de Obstetrícia, frequentar Centro Obstétrico, frequentar ambulatórios de mastologia e de oncologia pélvica, ter aprendizado em endoscopia ginecológica e complementar sua formação em todos os ambulatórios especializados em Ginecologia. Deve ter treinamento no atendimento de pacientes graves e concluir seu aprendizado básico de ultra-sonografia.

  Nesses três anos a formação teórica será feita por meio de aulas expositivas e na forma de reuniões e debates clínicos, bem como em reuniões para discussão de artigos científicos e de revisão de temas e protocolos, que podem ser organizadas e apresentadas pelos próprios residentes, com a presença de integrantes do corpo de ensino de serviço.